OK
Há muito para se ver e fazer em Porto Alegre, metrópole global e completa que não perdeu de vista a qualidade de vida. E há coisas imperdíveis para quem quiser conhecer o melhor da capital gaúcha, como o histórico Mercado Público Central, movimentadíssimo espaço de compras e gastronomia, os 72 km da orla do Lago Guaíba e seu consagrado por do sol e o cardápio de diversidade oferecido pela noite porto-alegrense, capaz de atender variados gostos, do sofisticado ao mais irreverente. Entre as cidades mais arborizadas do país e segunda capital com a maior área rural preservada, Porto Alegre também é ideal para o turismo rural e para quem curte a vida ao ar livre.

Abaixo, a lista dos “imperdíveis” de Porto Alegre. Para selecionar atrativos por segmento, utilize o filtro de pesquisa à direita.
» Igreja Nossa Senhora das Dores

Segunda a sexta das 8h30 às 19h30 (com pausa das 12h às 12h30). Sábado e domingo 8h30 às 19h30 (com pausa das 12h às 13h30).

A Igreja, que já foi considerado o mais importante prédio histórico da cidade, é a mais antiga da cidade. Começou a ser construída em 1807 e demorou 97 anos para ser concluída. Na fachada, o estilo alemão se confunde com o barroco português, prova da evolução de diferentes tendências arquitetônicas na cidade.

O maior destaque da igreja é a sua longa e imponente escadaria. Pelo seu valor artístico e arquitetônico, foi tombada e declarada patrimônio histórico e artístico nacional em 1938, sendo a única igreja de Porto Alegre tombada em nível nacional, sob fiscalização do IPHAN.

Rua dos Andradas, 597 - Centro Histórico
(51) 3228.7376

» Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS)

De terça a domingo, das 10h às 19h.

O imponente prédio da Praça da Alfândega, de quase cinco mil metros quadrados, foi projetado pelo arquiteto alemão Theo Wiederspahn e construído em 1913 para abrigar a Delegacia Fiscal. Desde 1978, a construção suntuosa, com vitrais, mármores e ornamentos, é a sede do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS).

O acervo permanente é considerado um dos mais importantes do país. A arte gaúcha do século XX é a base da coleção, com obras de artistas como Iberê Camargo, Glauco Rodrigues, Alice Brueggemann, Maria Lídia Magliani e Carlos Scliar. Da arte brasileira é destaque a seção de pinturas com quadros de Portinari, Di Cavalcanti, Lasar Segall, Guignard, Manabu Mabe entre outros renomados. Da pintura estrangeira há valiosos itens europeus do final do século XIX e outros contemporâneos latinoamericanos. O MARGS recebe importantes exposições temporárias.

Dentro do padrão dos grandes museus internacionais, na Loja do MARGS o público encontra uma série de artigos originais e exclusivos, além de catálogos e livros de arte para todas as idades. E nada é mais agradável do que uma parada no acolhedor Bistrô do MARGS, que tem uma ala externa ao prédio histórico, ao lado da Praça da Alfândega. Os pratos do cardápio levam nomes de importantes pintores gaúchos, brasileiros, franceses, espanhóis e italianos, bem de acordo com a variada culinária da casa que atende de segunda a sexta, das 11h às 21h e aos sábados e domingos, das 11h às 19h. O happy hour nas quintas e sextas, a partir das 17h30, é sempre embalado por violão e voz, ao vivo.

Praça da Alfândega, s/nº - Centro Histórico
(51) 3227.2311

» Parque Farroupilha (Redenção)

Situa-se no Bairro Farroupilha contornado pela Av. João Pessoa, José Bonifácio, Osvaldo Aranha e ruas Setembrina  e Eng. Luís Englert.

É popularmente chamado de Parque da Redenção, nome dado à área em 1884 em homenagem à libertação dos escravos e pelo fato de Porto Alegre ter sido a primeira cidade do país a abolir a escravatura. A denominação Farroupilha só veio em 1935, desta vez em homenagem aos cem anos da Revolução Farroupilha, a marcante Guerra dos Farrapos em que os gaúchos lutaram contra o Império Brasileiro.

Para os porto-alegrenses, no entanto, continua sendo o Parque da Redenção, intimamente ligado à vida da cidade. Além de ser um pulmão verde no movimentado bairro Bom Fim, próximo ao centro, a Redenção é patrimônio histórico, natural, paisagístico e cultural da capital e tem a cara e a alma de Porto Alegre.

É o mais tradicional ponto de lazer e convivência dos porto-alegrenses é um dos locais preferidos para manifestações culturais de rua. Nos finais de semana, mais de 70 mil pessoas passeiam por seus 37 hectares repletos de monumentos, recantos e jardins temáticos, um grande lago, parque de diversões infantis, canchas de futebol e de bocha e pista de atletismo. É na Redenção que fica o pitoresco Mercado Bom Fim, com lojas de artesanato, produtos naturais, bares, restaurantes e floriculturas.

Av. João Pessoa, s/nº - Farroupilha
(51) 3286.4458

» Santander Cultural

De terça a sábado, das 10h às 19h. Domingos e feriados, das 13h às 19h.

Instalado na Praça da Alfândega, coração da capital gaúcha, o Santander Cultural é um dos mais completos e modernos espaços culturais da capital gaúcha e referência no país. Em seus três andares acontecem exposições temporárias de arte contemporânea nacionais e internacionais, shows de música popular, sessões de cinema e mostras de arte. A  cada dois anos, também tem servido de espaço para exposições e instalações da Bienal do Mercosul.

O prédio foi construído em 1932 para ser sede de um banco, e muitos espaços característicos da instituição financeira foram criativamente transformados. No subsolo, os antigos cofres foram transformados em sala de cinema, no sofisticado Café do Cofre e no Moeda bar e Restaurante. 

O contrataste da arquitetura predominantemente neoclássica do prédio com o estilo contemporâneo das exposições de arte já é um programa à parte. Escadarias de mármore conduzem a um grande salão central iluminado por uma clarabóia com magníficos vitrais de origem francesa. Em 2008, o Santander Cultural foi eleito, por meio de votação popular, como o patrimônio arquitetônico mais significativo de Porto Alegre.

Rua Sete de Setembro, 1028 - Centro Histórico
(51) 3287.5500

» Praça da Alfândega

É uma das praças mais famosas da cidade e de grande valor histórico. Atualmente a praça recebe, de segunda a sábado, a Feira da Alfândega, com artigos em couro, metal, vidro e lã. Nos meses de outrubro e novembro, dá lugar à maior Feira do Livro a céu aberto da América Latina.

Construída no fim do século 18, foi um dos primeiros sítios de ocupação dos açorianos que iniciaram a fundação da cidade. Famosa pelas grandes paineiras, ipês e jacarandás, a Praça da Alfândega abriga no circuito entre as ruas da Praia, a mais antiga do Centro Histórico, e 7 de Setembro, belos prédios históricos ocupados por espaços culturais de primeira linha, a poucos passos um do outro: o Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (Margs), o Santander Cultural e o Memorial do Rio Grande do Sul. Seguindo pela Rua da Praia, pode-se visitar também a Casa de Cultura Mario Quintana.

E por falar no poeta, vale conferir o grupo de esculturas de Quintana e Carlos Drummond de Andrade realizado por Francisco Stockinger, junto a um banco da praça.

Desde 1955, na segunda quinzena de outubro a histórica Alfândega se transforma num dos locais mais movimentados e disputados da capital. É a Feira do Livro de Porto Alegre, a maior do gênero na América Latina, que toma conta da praça e movimenta milhares de pessoas em torno das centenas de bancas de editoras e livrarias, shows de música, dança e teatro que acontecem diariamente, ocupando também outros espaços próximos.

Praça da Alfândega, s/nº - Centro Histórico
(51) 3289.7500


Nome: Endereço: Atrativos e Roteiros:
Segundas em Porto Alegre
Dias de Chuva
Para Crianças


Parceiros::